Franco Suíço, quer saber mais sobre uma das moedas mais fortes do mundo? Então leia este texto!

Apesar de não sermos Economistas e sim turismólogas, vamos falar sim um pouquinho sobre economia, Banco Central Suíço e uma das moedas mais fortes do mundo: o Franco Suíço. De uma forma direta e simples, vamos passar pra vocês alguns detalhes. Vamos começar com… isso mesmo, um pouco de história!

O único responsável por nosso dinheiro, errrrr ok, vou recomeçar, pois desse dinheiro todo que transita pela Suíça, muito pouco é realmente “nosso”!
O único responsável pela impressão e como eles dizem “Monopólio do Dinheiro” no país, é o SNB (Schweizerisches National Bank), o Banco Nacional Suíço. E isso desde 1907, ano que efetivamente começou a atuar (sua fundação data de 16 de Janeiro de 1906) quanto adquiriu, através de votação, o direito exclusivo de prensar o Franco Suíço e cuidar da economia do país.
Funciona de forma independente (com o objetivo principal de se proteger da influência política) e, por isso, de acordo com a Constituição precisa prestar contas periodicamente. Por possuir uma atividade de interesse público, é devidamente controlado pelo Conselho Federal.
Sua parte operativa, o Direktorium (composto atualmente por 2 diretores e 1 diretora), assim como a maioria do Conselho Bancário (6 dos 11), são escolhidos pelo Conselho Federal!

Agora vamos ao Franco Suíço!

Em Agosto deste ano foi lançada a quarta nota da nova série de Franco Suíço (a 9a série!). A nota de CHF 200.- Francos. Você sabe quais e quantas são no total? São elas: 10, 20, 50, 100, 200 e 1’000.

créd. fotos: SNB (Banco Nacional Suíço).

primeira série do Franco Suíço foi lançada em 1907 – mas, como entre a fundação e abertura dos caixas as novas notas ainda não estavam prontas. Decidiram prensar um detalhe como uma roseta e a cruz símbolo da bandeira suíça nas notas já existentes. Elas eram: 50, 100, 500 e 1’000 Francos.

Lançada em 1911, a segunda série tem uma curiosidade: nesta série tivemos uma nota de CHF 5.- (retirada completamente em 1980, hoje temos apenas em moedas).

“Cédulas da Crise”, a terceira série veio entre 1918 e 1930 – foram sendo produzidas em etapas.

Série de 1938, que seria a quarta – durante a segunda Guerra Mundial, foram desenhadas novas notas de 50, 100, 500 e 1000. Mas, nunca entraram em circulação.

quinta série, em 1956 – foi aqui, pela primeira vez, que as notas mais altas (1’000, 500, 100 e 50) vieram com um tema em comum. E, pela primeira vez, não só seu design foi aprovado, como impresso e entrou em circulação: a nota de CHF 10 Francos Suíços.

Nesta sexta série, em 1976 – Foi neste ano que o Banco Central Suíço pode, pela primeira vez, tomar o controle integral do planejamento, organização e trabalho conjunto com gráficos, designers, fabricantes de papel, produção, etc.

sétima série chega em 1984 – o processo de segurança contra falsificação continua seu desenvolvimento. Nesta série foram lançadas notas de 1’000, 500, 100, 50, 20 e 10 Francos Suíços.

oitava série, lançada em 1995 – entra aqui pela primeira vez uma das tecnologias mais avançadas para prevenir falsificação, o sistema vai desde segredos escondidos nas notas até o processo de transparência. As notas tem como temas: arquitetura, música, literatura, entre outros.

A nova, e nona, série – Começou a ser lançada em 2016 com a nota de CHF 50 Francos Suíços. Tem até 9 passos diferentes em seu processo de impressão e inúmeros detalhes que podem ser vistos posicionando as notas em diferentes posições e utilizando desde luz infra vermelha até ultra violeta.

O Banco Nacional Suíço possui um APP super legal para que você possa ver detalhes das novas notas, alguns em 3D – clique neste link e posicione sua câmera em acima de uma das notas. Vocês vão adorar!

Deixamos abaixo um curto vídeo que mostra um pouco deste processo! 

Curiosidade sobre uso da moeda no dia a dia suíço:

Transcrevendo: Aqui não colocamos uma vírgula para separar, como no Brasil (e em outros países) e sim o ponto e substituímos os ‘zeros’ por um hífen. Então o que no Brasil “vinte Reais” escrevemos assim R$ 20,00. Na Suíça escrevemos “vinte Francos” assim: CHF 20.-. Para as cifras maiores, em mil, por exemplo usamos um apóstrofo, assim “mil francos” escrevemos CHF 1’000.-.

Discrição: O suíço normalmente nunca fala em cifras, nem ostenta, nem fala quanto ganha. É tudo subentendido, mesmo!

Salário mínimo: não existe como no Brasil. Existe um salário base para cada categoria.

Quanto ganha: sempre fazem as contas por ano. Levando em consideração o salário base da categoria em questão. Então, em uma conversa informal, em casa, com meu marido, ele menciona: “ah, Fulana provavelmente ganha em torno dos CHF 90’000.-*” – com isso ele quis dizer, que ela recebe, em média CHF CHF 7’500.-/mês. O que seria um salário bem bom 😀
* Este seria o valor bruto, sem as devidas reduções de impostos, plano de saúde, previsão social, etc, que gira em torno dos 25% e para família contamos com uma redução de 35% (em média, na cidade de Zurique!)

Esperamos que tenham gostado desta leitura. Caso tenham mais algum detalhe sobre este vasto universo da economia, vamos adorar receber. Este é um dos vários temas abordados em nossos City Tours pela Suíça. Saiba mais sobre eles aqui.

Um abraço e bis bald (até breve)

Fonte de pesquisa: www.snb.ch (como nossa pesquisa foi feita em alemão, pedimos sua compreensão para o caso de encontrar uma ou outra tradução que não seja 100% fiel ao artigo original).

Créd. fotos: SNB (Banco Nacional Suíço).

Um comentário sobre “Franco Suíço, quer saber mais sobre uma das moedas mais fortes do mundo? Então leia este texto!

  1. Programamos comemorar nossas bodas de 22 anos de casamento na Suíça, um dos poucos países da Europa que não conhecíamos. Escolhemos a linda e romântica cidade de Lucerna para festejar a grande data. Lá, assim como em Berna, contamos com a ajuda da Guia Suíça para tours nas duas cidades. Acertamos em cheio! Além dos passeios ciceroneados por Luci e equipe, valeram demais as dicas, informações e orientações dadas com profissionalismo, gentileza, simpatia e carinho pessoal que nos conquistaram e contribuíram para a beleza da nossa viagem. Sem dúvida, a Guia Suíça será recomendada aos nossos parentes e amigos! Gratos por tudo, Hermínia e Paulo

Os comentários estão desativados.